Kubo-Robot. Os dinamarqueses que venceram a Web Summit em 2016

Mais de 200 startups concorreram ao Pitch, mas apenas uma levou para casa 100 mil euros da Portugal Ventures. Conheça os dinamarqueses que querem ensinar programação a crianças.

Foi uma startup dinamarquesa a vencer o Pitch da edição de 2016 da Web Summit. A Kubo-Robot ganhou o prémio de empreendedorismo da conferência (quem em 2014 foi ganho pelos portugueses da Codacy) e vai levar para casa 100 mil euros da Portugal Ventures. Mais de 200 empresas, entre as quais 31 portuguesas, concorreram aos Pitch que decorreram durante os três dias do evento. As três finalistas apresentaram as ideias ao fim da manhã desta quinta-feira a um júri composto por três investidores, e a vencedora foi anunciada ao fim da tarde.

Depois de receberem o prémio, os responsáveis da empresa explicaram a sua ideia aos jornalistas. “Normalmente, quando pensamos no ensino da programação, pensamos nos jovens a partir do 9.º ano, utilizando computadores portáteis”, contou Tommy Otzen, o CEO da Kubo. A equipa decidiu que era necessário chegar aos mais novos, e, por isso, lembraram-se de “tirar a programação drag and drop [arrastar e largar] do ecrã e passá-la para a vida real”, como se fossem Legos.

Construíram um robô em forma de cubo que está dotado de um sistema de inteligência artificial, e que reconhece sinais básicos, como setas ou cores. Esse robô tem de percorrer um caminho em cima de um tabuleiro de jogo, que inclui um rio e uma ponte. A ideia é que a criança vá colocando ao longo do tabuleiro pequenos cartões com as ordens para o robô avançar pelo caminho certo. Com este sistema, defendem os criadores, as crianças aprendem a controlar o robô através da utilização das ordens certas, o que é a base da programação.

“Já estávamos a trabalhar neste projeto há dois anos. Agora, ganhar este prémio é um grande ponto de viragem“, sublinha Tommy Otzen, apesar de admitir que ainda não tem destino para o dinheiro. “Provavelmente será para a produção”, refere, já que a empresa planeia iniciar a produção de 5.000 robôs ainda este ano. “Queremos começar a vender em 2017”, sublinham. Para já, o Kubo está a ser usado em projetos experimentais na Dinamarca. O produto deverá custar perto de 200 euros, quando chegar ao público.

Para os criadores do Kubo, a Web Summit foi sobretudo uma oportunidade. “Já falámos com algumas empresas, com quem temos possibilidades de parceria, especialmente aqui na Web Summit”, garantem. O projeto já contou com 200 mil euros de investimento até aqui, mas Otzen e a equipa esperam que a vitória na Web Summit lhes traga ainda mais investimento. “Estamos orgulhosos, isto tem principalmente a ver com a solução que criámos”, concluem.

Fonte: http://observador.pt
Data: 10/11/2016