Supermercado usa o rio Sena para transportar mercearias para o centro de Paris

Centro e trinta e cinco – 135 – das 350 lojas da cadeia retalhista Franprix, de Paris, recebem os seus produtos através do rio Sena, o que faz desta marca de retalho alimentar a única, em todo o mundo, a utilizar a água para transportar o último troço das suas mercadorias até às lojas. “Somos pioneiros”, explicou Stéphane Tuot, chefe de logística da Franprix, ao Guardian.

A logística inovadora foi criada em 2012, com apoio financeiro e político da União Europeia, Governo francês, região e porto de Paris. “A maioria das nossas lojas encontra-se em Paris e nos seus subúrbios, formando uma densa rede. O nosso principal armazém situa-se a poucos quilómetros do centro da cidade, perto de Bonneiuil-sur-Marne, um dos maiores portos de Paris. Pareceu-nos lógico utilizar o Sena”, explicou Tuot.

A ideia foi bem acolhida pela cidade, que está a criar cada vez mais proibições de transporte de veículos nas áreas centrais, uma forma de diminuir a poluição. A medida da Franprix permite retirar, todos os anos, 2.600 camiões do centro de Paris. Ainda assim, trata-se de uma solução cara – mesmo com apoio financeiro de vários stakeholders.

“Queremos estar à frente do jogo; há cada vez mais proibições de transporte através dos camiões, e elas irão aumentar no futuro”, explicou ao Guardian Tuot, que se referia à proibição dos veículos a diesel a partir de 2020 e a possibilidade de Paris passar a cobrar uma taxa de engarrafamento a partir de 2021.

Cada mercadoria navega durante três horas, num total de 21 quilómetros, até ao Port de la Bourdonnais, uma pequena infra-estrutura entre a Torre Eiffel e o Musée du Quai Branly. “Ainda há muito espaço para transportar mercadorias no Sena, e esperamos anunciar novas parcerias num futuro próximo”, explicou o responsável. “No longo prazo, se formos acompanhados pelas entidades públicas e os investimentos necessários, poderemos repôr todas as nossas 350 lojas através do Sena. Isso é perfeitamente fazível”, explicou.

Segundo Célia Blauel, presidente-adjunta de Paris com os pelouros do desenvolvimento sustentável e água, o Sena e os canais de Paris serão a chave da sua estratégia de sustentabilidade. A responsável acredita que o rio irá promover actividades de lazer e turísticas, com o objectivo final de permitir que os parisienses possam tomar banho no seu rio em 2030. Quanto à Franprix, a marca vai continuar a utilizar o Sena para transportar as suas mercadorias, esperando que, nos próximos anos, o investimento seja menor e o retorno maior.

Fonte: http://greensavers.sapo.pt/
Data: 06/03/2016