Ranking: Lisboa é a região mais competitiva, mas não a mais coesa

A região de Lisboa é a região mais competitiva do país, mas Coimbra é a que oferece maior coesão, e o Alentejo a melhor qualidade ambiental. O Porto é a única que pontua acima da média em todos. Veja os indicadores do INE por região.

Lisboa, Porto e Alto Minho são as regiões do País que, em 2014, apresentaram um nível mais elevado de desenvolvimento regional, com pontuações acima da média do território. Contudo, este índice é calculado através da consideração de três sub-índices (de competitividade, coesão e qualidade ambiental), onde os desempenhos são muito diferentes.

Comecemos pelo primeiro. Segundo os dados divulgados esta quarta-feira de manhã pelo INE, Lisboa lidera o índice de competitividade, encontrando-se 14,16% acima da média do País. Alto Minho, Cávado e Porto também pontuam acima da média neste indicador, que pretende captar o potencial em termos de recursos humanos e de infraestruturas físicas de cada região e a eficácia na criação de riqueza e na capacidade demonstrada pelo tecido empresarial para competir no contexto internacional.

Quando se fala de coesão, os resultados são mais equilibrados. Aqui pretende medir-se o acesso da população a equipamentos e serviços colectivos básicos de qualidade, e a eficácia das políticas públicas no amento da qualidade de vida e na redução das desigualdades territoriais.

Ao todo, há 25 regiões do País com um nível de coesão acima da média nacional (100), com Coimbra no topo da lista, seguida de muito perto de Lisboa.

Trás-os-montes e Alto Tâmega têm os índices de coesão mais baixos.

Em matéria de qualidade ambiental o objectivo é medir os efeitos da actividade económica e da acção individual sobre o meio ambiente e, aqui, como assinala o INE, os resultados são praticamente simétricos aos da competitividade. Isto é, quanto mais competitiva é uma região, menor é a qualidade do seu ambiente.

Ponderando os diversos indicadores, Lisboa, Porto e Alto Minho encontram-se globalmente acima da média. O INE assinala, contudo, que a Área Metropolitana do Porto foi a única região em que o índice sintético de desenvolvimento regional e cada um dos três índices parciais se situaram acima da média nacional.

Fonte: http://www.jornaldenegocios.pt/
Data: 15/06/2016