Moleskine lança kit que digitaliza o que se escreve no caderno

É esta a proposta da famosa marca de cadernos Moleskine, que lançou um ‘kit’ com uma caneta e um caderno inteligentes que permitem digitalizar em tempo real aquilo que escreve em papel para os seus diapositivos móveis.

A Moleskine lançou um novo conceito que procura juntar o conforto do papel e os benefícios do digital. O Smart Writing Set consiste numa caneta, num caderno e numa aplicação que trabalham em conjunto para permitir a digitalização em tempo real as anotações que vai fazendo no seu bloco de notas.

O caderno inteligente, denominado "paper tablet", foi anunciado esta quarta-feira, 6 de Abril. Tem o formato de um 'tablet' e páginas mais grossas que um caderno normal – ideais para desenhar ou escrever –, equipadas com tecnologia Ncode, invisível ao olho humano.

Por debaixo do papel existe uma grelha escondida que permite à caneta inteligente "Neo smartpen" reconhecer a localização exacta daquilo que está a ser escrito ou desenhado na página.

Esse conteúdo é processado e guardado na aplicação Moleskine Notes para iPhone, ou na "app" Neo Notes para utilizadores do sistema operativo Android. Além de guardar o documento em diversos formatos, esta aplicação permite ainda partilhar o mesmo através de outras aplicações, desde o email, até ao Google Drive, iCloud, passando pelo Evernote.

O ‘kit’ da Moleskine custa 199 dólares. Comprar os cadernos isoladamente vai custar 29,95 dólares.
"Vemos a procura pela nossa colecção aumentar em dois dígitos ano após ano, o que mostra a contínua relevância do papel na era digital. Por outro lado, estamos bem cientes das vantagens do digital, para editar, seleccionar e partilhar. É por isso que vemos o analógico e o digital como complementares", diz Arrigo Berni, CEO da Moleskine, em comunicado.

A caneta "comunica" com a aplicação através de Bluetooth, escreve o The Verge e, adianta a Wired, tem bateria para cinco horas ininterruptas de escrita.

As duas publicações especializadas em tecnologia já testaram o Smart Writing Set e deixam as suas notas.

Pode ler-se na Verge que a bateria é duradoura e que a transferência das anotações é rápida e fiável. No entanto, a caneta leva uns momentos a ligar e a iniciar a captura, pelo que se "perdem" algumas palavras iniciais na transcrição.

Mais crítica, a Wired refere que o sistema cria alguma distracção porque requer que se esteja atento para garantir que as notas estão efectivamente a ser copiadas para o dispositivo. Em resumo, a publicação escreve que se trata de um equipamento interessante para quem tem um propósito lúdico, mas que talvez não seja a melhor opção em termos profissionais.

Fonte: http://www.jornaldenegocios.pt/
Data: 07/04/2016