Como a Alphabet deu a "dentada" à Apple na lista das mais valiosas

A Alphabet, casa-mãe da Google, destronou a fabricante do iPhone na lista das mais valiosas do mundo após ter mostrado resultados que surpreenderam o mercado.

É uma das grandes rivalidades empresariais do mundo. E na luta pelo título de pesos-pesados das bolsas, a Google está a ganhar vantagem. A Alphabet, "holding" que detém o motor de busca, ultrapassou a Apple na lista da empresa mais valiosa do mundo, pela primeira vez desde Janeiro de 2010. Isto depois do sucesso do iPhone e do iPad ter cavado um fosso no valor das duas cotadas. Em Julho de 2012, por exemplo, a empresa da maçã valia três vezes mais que a empresa liderada por Larry Page.

A empresa liderada por Larry Page está avaliada em 541,5 mil milhões de dólares (495,8 mil milhões de euros), mais 13,6 mil milhões de dólares (12,45 mil milhões de euros) que o valor de mercado da Apple – é mais do que uma EDP de diferença, que está avaliada em 11,8 mil milhões de euros.

Desde a reorganização empresarial que culminou na criação da Alphabet, em Agosto de 2015, a empresa consegue uma valorização de 15%, o equivalente a 98,6 mil milhões de dólares, beneficiando da maior visibilidade aos negócios em maior crescimento, nomeadamente o móvel. Já a Apple cede mais de 18%, deixando pelo caminho 154,8 mil milhões de dólares de valor de mercado nesse período.

Estocada final

A Apple tem vindo a ressentir-se das perspectivas para as vendas. Apesar de a 26 de Janeiro a empresa ter mostrado um recorde de receitas de 75,9 mil milhões de dólares nos últimos três meses de 2015, a gestão da Apple indicou que as vendas deverão cair no primeiro trimestre deste ano. Desde 2003 que tal não acontece.

Tim Cook deixou uma mensagem bastante cautelosa na apresentação de resultados. "Estamos a assistir a condições extremas como ainda não tínhamos experienciado antes". Os analistas do JP Morgan observaram numa nota de investimento que "a empresa assinalou fraquezas inesperadas nos EUA e no Japão assim como uma deterioração na China". Desde aquelas indicações de Cook, a Apple cedeu 26,4 mil milhões de dólares de valor de mercado.

Já a Alphabet surpreendeu os analistas. Apresentou receitas de 21,3 mil milhões de dólares nos últimos três meses de 2015, uma subida de 18% e acima do esperado pelo mercado. "O negócio central aparenta estar muito saudável", observou o analista da Edward & Jones, Josh Olson, citado pela Bloomberg. As acções avançam mais de 3%, aumentando o valor da empresa em 19 mil milhões de dólares.

Luta renhida

Apesar do mercado estar a favorecer a Alphabet, as avaliações dos analistas continuam a dar à Apple o estatuto de mais valiosa. A média dos preços-alvo atribuídos às acções da empresa da maçã, de 135,19 dólares, implica um valor de mercado de 749,6 mil milhões de dólares. Já a média para a Alphabet, de 927,37 dólares por acção, indica uma avaliação de 640,8 mil milhões de dólares.

Mesmo após os bons resultados, os analistas da Pivotal Research Group referiram numa nota de investimento que "continuam relativamente cautelosos para a Alphabet". Enumeram algumas ameaças para o valor da empresa como a diversificação de negócios, a descida das margens e "riscos relacionados com os esforços de vários governos para limitar a empresa".

Já para a Apple, os analistas do JP Morgan acreditam que "tem fontes adicionais de crescimento que podem impulsionar os lucros". E defendem que "a melhoria da taxa de rentabilidade do dividendo, impulsionada pela recompra de acções, coloca a Apple substancialmente subavaliada face aos pares".

Fonte: http://www.jornaldenegocios.pt/
Data: 02/02/2016