Bezos vende mil milhões em acções da Amazon para financiar ida ao espaço

O fundador e CEO da Amazon alienou cerca de mil milhões de dólares em acções da empresa, montante que deverá ser canalizada para a sua outra empresa, a Blue Origin, que tem como objectivo explorar o espaço.

Entre terça e quinta-feira passadas, Jeff Bezon vendeu um milhão de acções da Amazon, com um preço por acção a variar entre 935 e 950 dólares, o que permitiu ao fundador e CEO da empresa de e-commerce (comércio online) arrecadar cerca de mil milhões de dólares.

Depois desta operação noticiada esta sexta-feira, 5 de Maio, pela agência Bloomberg, Bezos continua ainda a deter 79,9 milhões de títulos accionistas da Amazon, equivalentes a cerca de 17% do capital social da cotada, um conjunto de acções que compara com os 83 milhões títulos detidos no final de 2015.

Este conjunto de vendas faz parte do processo de alienação de acções de Bezos, que no mês passado revelou gastar anualmente cerca de mil milhões de dólares para financiar a Blue Origin, uma empresa detida por aquele que é o terceiro homem mais rico do mundo e cujo objectivo passa pela realização de viagens turísticas ao espaço.

Em 2000, Bezos fundou a Blue Origin, a empresa que trabalha para colocar pessoas no espaço. E o financiamento dessa empresa é feito sobretudo através da venda de acções da Amazon, também fundada e liderada pelo próprio Jeff Bezos. No início de Abril, Bezos revelou mesmo que tem vindo a vender cerca de mil milhões de dólares em acções, por ano, da gigante do comércio electrónico.
"O meu modelo de negócio para a Blue Origin é vender cerca de mil milhões [de dólares] em acções da Amazon, por ano, que [depois] uso para a financiar", disse a 5 de Abril, Jeff Bezos num simpósio sobre o espaço, no Colorado. "Assim, o modelo de negócio da Blue Origin é muito robusto".

A Blue Origin de Bezos tem como concorrente na intenção de exploração turística do espaço a Space Exploration Technologies, de Elon Musk e a Virgin Galactic, de Richard Branson.

Fonte: http://www.jornaldenegocios.pt/
Data: 05/05/2017