Algarve vai ter linha eletrificada com apoio do COMPETE 2020

Integrada num pacote de apoios com €630,5 milhões do COMPETE 2020 – Programa Operacional Competitividade e Internacionalização, a eletrificação da ferrovia algarvia vai avançar.

A principal região turística portuguesa recebeu luz verde para aceder aos apoios europeus no âmbito do investimento para a eletrificação total da sua linha de comboio. Assim, daqui a cinco anos (a partir do terceiro trimestre de 2021) vão poder circular carruagens mais silenciosas e menos poluentes, com motorização exclusivamente elétrica na linha do Algarve.

A semana passada foram publicados, oficialmente, pela Autoridade de Gestão do COMPETE 2020 os AVISOS de concurso para as empresas envolvidas, no caso a Infraestruturas de Portugal (IP), apresentarem os projetos relativos aos investimentos programados. Nos convites para projetos com apoios de €630,5 milhões, está a eletrificação da linha do Algarve.

Assim, a partir de 21 de setembro a equipa da IP, presidida por António Laranjo, apoiado pelo vice-presidente, Carlos Fernandes, especialista em projetos ferroviários, pode apresentar a candidatura aos apoios destinados à eletrificação dos troços de linha ferroviária entre Faro e Vila Real de Santo António e entre Tunes e Lagos.

O valor total deste investimento ascende a €31,6 milhões, aguardando-se que tenha uma comparticipação da União Europeia da ordem dos €22,7 milhões, o que faz com que a participação de Portugal neste investimento seja de €8,9 milhões. Esta obra permite a utilização de tração elétrica em toda a linha, reduz os tempos de trajeto e aumenta “as receitas anuais da IP em €180 mil”, admite a IP.

Também receberam luz verde os investimentos na linha do Douro para modernização dos troços Caíde-Marco de Canaveses, Marco-Régua, o investimento na linha do Oeste de modernização do troço Meleças-Caldas da Rainha, bem como as segundas fases dos projetos na linha do Norte de modernização dos troços Ovar-Gaia, Alfarelos-Pampilhosa, Santana-Cartaxo-Entroncamento e, ainda na linha do Norte, do troço Braço de Prata-Alverca (junto ao Terminal da Bobadela).

Na linha da Beira Baixa, figura a segunda fase do investimento de modernização do troço Castelo Branco-Covilhã-Guarda, bem como a segunda fase da modernização do troço Nine-Valença na linha do Minho e a modernização do troço Sines-Ermida-Grândola na linha de Sines e na linha do Sul.

Finalmente, para os portos vai um pacote de apoios de €84,5 milhões destinado a vários projetos, entre os quais a melhoria dos acessos marítimos do porto de Setúbal, a implementação da operacionalidade do terminal de granéis líquidos e a infraestruturação da Zona de Atividades Logísticas e Industriais do porto de Aveiro.

Para o porto de Leixões está previsto o prolongamento do quebra-mar do terminal de contentores. Para Sines, está prevista a terceira fase da ampliação do molhe Leste. Para o porto de Portimão está inscrita a melhoria das acessibilidades e infraestruturas marítimas.

Para mais informações, consulte a página do COMPETE 2020 – AVISOS.

Fonte: https://www.portugal2020.pt/
Data: 26/09/2016