OECD Economic Surveys: Portugal 2014

A OCDE prevê que o Estado português tenha uma dívida pública equivalente a 128,3% em 2015. Acima dos 127,3% estimados para este ano e muito acima dos 123,7% antecipados pelo Governo português. Défice ficará nos 2,9%.

Esta perspectiva mais pessimista está inscrita num documento da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE) de análise sobre a economia portuguesa. "A dívida pública e privada é elevada, o que se traduz numa dívida externa alta. A baixa inflação esperada criará mais desafios para a redução da dívida", pode ler-se no relatório, publicado esta manhã, 27 de Outubro.

No Orçamento do Estado para 2015, o Executivo português comprometeu-se com uma dívida pública de 123,7% do PIB já no próximo ano. Uma descida significativa face aos 127,3% com que deve terminar 2014.

Apesar das diferenças face à previsão do Governo, a OCDE parece estar optimista em relação à trajectória da dívida, "assumindo que nenhum risco contingente se materializa". "Cenários alternativos com um crescimento mais fraco e menos [esforço de] consolidação orçamental resultariam na mesma numa redução do rácio de dívida em percentagem do PIB", referem os técnicos da organização. "Neste contexto, a trajectória de consolidação parece apropriado e razoavelmente robusto. Caso haja uma surpresa negativa significativa no crescimento, deverá permitir-se que o défice se desvie temporariamente deste caminho."

Apesar dos esforços de austeridade, Portugal não tem conseguido iniciar ainda uma tendência de redução da dívida pública.

Défice mais alto, crescimento mais baixo

Quando ao défice orçamental, a previsão da OCDE não está muito longe do valor inscrito no Orçamento do Estado para 2015. Enquanto o Executivo português diz esperar um saldo equivalente a 2,7% do PIB, a OCDE prevê um défice de 2,9%, mais próximo do limite dos 3% que o Governo disse querer respeitar.

A OCDE está também um pouco mais pessimista no que diz respeito ao crescimento da economia portuguesa. Enquanto o Governo antecipa um avanço de 1,5%, os técnicos da OCDE esperam que o produto interno bruto (PIB) avance apenas 1,3%.

Ler mais: 
Relatório económico da OCDE Portugal 2014 - As reformas estão a dar frutos


Fonte: Jornal Negócios Online
Data: 27/10/2014