Inside Visions: A ‘startup’ que aposta no futuro

Conheça a empresa que venceu o Prémio Caixa Empreender para a Mellhor ‘Startup’.

Imagine que está a entrar numa loja ou num centro comercial e que, em vez dos tradicionais painéis publicitários estáticos, vê à sua frente anúncios em permanente atualização conforme o perfil de quem passa: publicidade a brinquedos para crianças, ‘gadgets’ e produtos tecnológicos para jovens, automóveis para homens de meia-idade, ou perfumaria e maquilhagem para mulheres.

O cenário parece futurista, e tirado de filmes como o “Relatório Minoritário”, de Steven Spielberg, mas a verdade é que a tecnologia de reconhecimento facial que permite às marcas adequar a sua estratégia ao consumidor em tempo real já é uma realidade. Chama-se Targetads, nasceu em Portugal pelas mãos da Inside Visions, a melhor ‘startup’ eleita pelo Prémio Caixa Empreender, e prepara-se para conquistar o mundo a partir de Londres já em setembro.

O processo para trazer o futuro tecnológico até aos dias de hoje começou em 2008, quando o gestor Miguel Peixoto deixou a empresa do setor automóvel onde trabalhou durante os primeiros 12 anos da sua carreira, depois de sair da Universidade de Coimbra, para se lançar na aventura do empreendedorismo. “Tinha a hipótese de ir trabalhar para outra empresa ou então criar a minha. Achei que era a altura de aplicar os conhecimentos adquiridos nos anos anteriores e arriscar ser empreendedor. Eu sempre gostei de “fazer coisas”, de as ver crescer e por isso foi mais fácil “dar o salto” e criar a minha empresa”, conta o CEO da Inside Visions em declarações ao Saldo Positivo.

A ideia de negócio para a ‘startup’ surgiu com uma necessidade detetada na empresa onde tinha trabalhado anteriormente: conhecer melhor o perfil dos clientes, por género e idades. Ligou ao irmão, Paulo Peixoto, professor na Faculdade de Ciência e Tecnologia da Universidade de Coimbra, e perguntou-lhe se era possível usar a tecnologia de “Visão por Computador” para traçar o perfil das pessoas que entram numa loja, museu, estádio de futebol, ou qualquer outro espaço público. Possível em teoria, para a ideia de negócio evoluir “era necessário fazer desenvolvimentos nessa área”. Miguel Peixoto aliou os seus conhecimentos em gestão ao de um perito em tecnologia, ex-aluno do irmão, e lançou a Inside Visions em janeiro de 2009. Enquanto ‘startup’ ficou alojada na incubadora do Instituto pedro Nunes, em Coimbra.
Para saber mais sobrte este tema leia o artigo Caixa Empreender premeia melhor Startup e PME.

Uma empresa, dois produtos
A ‘startup’ comercializa agora dois produtos – Faceclick e Targetads – que utilizam o reconhecimento facial para gerar produtos e soluções que permitem às empresas fazer contagens, análises estatísticas e traçar os perfis dos clientes. No que diz respeito ao Faceclick, por exemplo, o sistema filma o local (sem gravar imagens) e em tempo real deteta os rostos das pessoas. Cria então um conjunto de informações sobre o número de pessoas, grupo etário e género. Já o Targetads permite adaptar a publicidade exibida em ecrãs digitais em função do perfil da pessoa que ali circula naquele momento, além de fornecer dados estatístico sobre o numero de pessoas que olharam para o anúncio, durante quanto tempo olharam e qual a expressão facial apresentada (se sorriram ou não).

“As aplicações tecnológicas desta natureza são recentes. Essa foi uma das razões porque decidi investir nesta área”, explica Miguel Peixoto. No espaço de quatro anos, a empresa passou de duas para nove pessoas, com resultados também sustentados. Enquanto o Faceclick está já em pleno funcionamento em pelo menos nove lojas franchisadas da marca Benetton em Portugal, o Targetads está debaixo de olho do Grupo Sonae, Samsung e algumas empresas na área da publicidade, sobretudo as que constroem e instalam painéis digitais e querem adicionar esta nova funcionalidade aos seus produtos.
Conheça as duas empresas vencedoras no artigo Ename e Inside Visions vencem Prémio Caixa Empreender.

Captar mais investimento é o próximo objetivo da Inside Visions
Além de Portugal, a Inside Visions e o Targetads marcam presença em Londres desde setembro de 2013 (com o apoio da aceleradora de projetos The Bakery), pelo facto do Reino Unido ser “um país com um potencial maior no sector da publicidade em ecrãs digitais”. “Em menos de um ano e ao fim de muitas viagens, vamos arrancar em setembro com um grande cliente em Londres. Dar este “salto” foi uma questão de dimensão de mercado e de uma maior propensão dos ingleses em apostar em tecnologia e soluções inovadoras”, explica Miguel Peixoto.

Com solicitações em mercados como a Alemanha, Itália, Luxemburgo, Brasil, Reino Unido e Estados unidos, o CEO da Inside Visions diz que o próximo passo para a ‘startup’ é a fase de angariar investimento: cerca de 700 mil euros. “Para tal contactámos alguns investidores para nos ajudarem a crescer mais rápido. A janela de oportunidade de uma empresa com uma solução inovadora é bastante curta. É necessário chegar ao mercado rapidamente e para isso é necessário investimento”, sublinha o responsável da empresa. Neste campo, o Prémio Caixa Empreender para “Melhor Startup”, que a Inside Visions ganhou recentemente, pode dar uma ajuda. “Vai trazer mais visibilidade e oportunidade de falar com outras pessoas a que anteriormente não tínhamos acesso. Para nós este prémio é muito importante”, disse Miguel Peixoto ao Saldo Positivo na cerimónia de entrega dos prémios. Para já a ‘startup’ de Coimbra espera “continuar a crescer no Reino Unido e avançar para o mercado alemão e americano”.

Saiba mais sobre a Inside Visions neste vídeo (Cofina Eventos).

Fonte: http://www.jornaldenegocios.pt/

ESTE CONTEÚDO É DA RESPONSABILIDADE DO SALDO POSITIVO, SITE DE LITERACIA FINANCEIRA DA CGD